Show MenuHide Menu

Amamentação, Festa e Homenagem

9 de agosto de 2016

Hoje escrevemos para contar um pouco de um momento muito feliz e acolhedor que vivemos a semana passada no Centro Clínico: a nossa Festa da Semana Mundial da Amamentação em homenagem às mamães.

DSCN2322

Tudo foi pensando com muito carinho e a festa contou com participações pra lá de especiais, como dos músicos Fabiana Fonseca e Gerson, da Banda Siri na Lata, e da especialista em Musicalização Infantil e Dança Circular, Leda Nascimento, que encantaram a todos com músicas e atividades lúdicas para serem realizadas em família com bebês, papais, mamães, avós.

DSCN2378

Contamos, também, com uma apresentação de como utilizar o sling, que tanto facilita as tarefas do dia a dia, feita pela mamãe da Larissa, a Aline do Ateliê Aline Gomes, que confecciona, além dos slings, produtos lindos e diferenciados como babadores, almofadas, acessórios para cadeirinhas do carro, entre outros artigos especialmente desenvolvidos para bebês e suas mães.

DSCN2410

DSCN2402

A ideia da festa surgiu para homenagear as mães que amamentam, apoiar e incentivar o aleitamento materno, e, este ano, divulgar o debate sobre “Amamentação e Sustentabilidade”, tema da Semana Mundial do Aleitamento Materno 2016, que tem como slogan “Aleitamento Materno: Presente Saudável, Futuro Sustentável”.

Aí lá vamos nós te convidar para refletir sobre o quanto amamentar pode contribuir para a construção de um mundo melhor. Prova disso é que o Aleitamento Materno vai de encontro aos 17 objetivos globais de desenvolvimento sustentável. Você já imaginou?

Entre estes objetivos, estabelecidos pela ONU (Organização das Nações Unidas), podemos destacar: erradicação da pobreza, fome zero, boa saúde e bem-estar, redução das desigualdades, paz e justiça. Neste cenário, lembramos que amamentar é oferecer o melhor começo de vida para os seus filhos, o que vai refletir muito no futuro deles, que terão menos diabetes, menos hipertensão, menos problemas de colesterol. Estas crianças ficarão menos doentes, faltarão menos à escola e ficarão mais preparados para aprender. Amamentar é plantar um futuro maravilhoso para seus filhos, é fazer o bem para todos e contribuir de maneira sem igual para um mundo melhor, mais sustentável, cheio de amor e muita paz.

#AmamentaçãoeSustentabilidade #ApoioestaIdeia #PromovaeIncentive

Semana Mundial do Aleitamento Materno 2016 (SMAM) debate a relação entre amamentação e sustentabilidade

2 de agosto de 2016

Com o slogan “Aleitamento Materno: Presente Saudável, Futuro Sustentável”, o tema da SMAM chama a atenção para o quanto a amamentação pode contribuir para a construção de um mundo melhor.

cartaz-smam-2016

Comemorada mundialmente na primeira semana do “Agosto Dourado”, mês escolhido para apoio e promoção do Aleitamento Materno, este ano o convite é para reflexão sobre o quanto amamentar vai de encontro aos objetivos globais de sustentabilidade.

Segundo a Pediatra e Consultora Internacional em Aleitamento Materno, Dra. Ana Maria Calaça Prigenzi, muitas mamães provavelmente não pararam para pensar que quando amamentam contribuem para a saúde e qualidade de vida do seu filho e, também, para a construção de um futuro sustentável e de um mundo melhor.

“Para fazer esta reflexão podemos partir de um item básico: leite materno não precisa de embalagem, ou seja, não gera resíduos ao meio ambiente. Este é só um exemplo, mas a questão é muito mais ampla e está totalmente ligada a tal sustentabilidade que tanto ouvimos falar”, destaca a pediatra.

De acordo com artigo da elaborado por Fabiana Cainé Alves da Graça (Farmacêutica, IBCLC, Membro da IBFAN Brasil) e Cláudia dos Reis Lisboa Novaes (Nutricionista, Mestre em Nutrição Humana Aplicada), “amamentar é reduzir morbidades, mortalidade, desigualdades, violência, danos ambientais. Amamentar é promover a vida e a saúde e melhorar sua qualidade, é intensificar as relações sociais, é um resgate cultural da condição humana, é segurança alimentar e nutricional, é reduzir impactos ambientais, é sustentável”.

O texto destaca ainda que a Semana Mundial do Aleitamento Materno 2016 discute a relação entre aleitamento materno e sustentabilidade e sua prática como parte essencial para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. No ano 2000, líderes mundiais e a ONU (Organização das Nações Unidades) reuniram se para definir metas cujo objetivo era promover uma parceria para a redução da pobreza extrema.

Ainda conforme o artigo, “amamentar é um ato de cidadania, indispensável à saúde humana e à preservação da espécie e do planeta. Amamentar é econômico, cultural, é orgânico, é natural, é uma prática sustentável que precisa ser apoiada, incentivada e protegida. Qualquer outra prática de alimentar crianças pequenas, principalmente as lactentes, com substitutos do leite materno impacta de forma negativa todas essas metas, dificultando seu cumprimento. Apoiar, incentivar e proteger o aleitamento materno é proteger a vida na Terra. É sustentabilidade. É direito e papel de todos”.

Programação de Peruíbe – Dia 02 de agosto, por iniciativa do Banco de Leite Humano de Peruíbe, acontecerá uma festa em homenagem às mães que amamentam, reunindo mais de 200 pessoas no Tiro de Guerra.

No Centro Clínico Peruíbe, dia 04 de agosto haverá uma programação especial para as mães e seus bebês, que participam da Clínica da Amamentação, atendimento de orientação, apoio e incentivo ao aleitamento materno.

Fica o convite! Abrace esta causa. Incentive, apoie, divulgue!

Convite: Festa em Homenagem às Mães que Amamentam, no Centro Clínico, dia 04/08/2016, às 14 horas!

15 de julho de 2016

SEMANA ALEITAMENTO 2016

Hora da volta ao trabalho

4 de julho de 2016

post 14 1

A licença maternidade acabou e agora? O que fazer para manter a amamentação? De que forma possa retirar o leite e deixar para o meu filho enquanto estou no trabalho? Estas são dúvidas que passam a angustiar as mães que estão voltando a trabalhar, além da ansiedade de ficarem separadas dos seus bebês depois de meses juntinhos.

As preocupações nesta hora são inevitáveis, mas, como diriam os mais velhos, tudo na vida tem uma solução. O primeiro passo é manter a calma e saber que é sim possível conciliar a amamentação com a volta ao trabalho.

Conte com as orientações do pediatra, que vai ensinar passo a passo como extrair o leite materno, armazená-lo adequadamente e como oferecer ao bebê. Compartilhe estas informações com a pessoas que ficará com o bebê enquanto você trabalha: avó, babá, profissionais da creche ou berçário. O apoio do marido e familiares para dividir as tarefas com você também ajuda muito, pois ficará mais tranquila, com mais tempo e segurança para cuidar da amamentação e retirada do leite.

Apoiar as mães que amamentam na volta ao trabalho vai além dos familiares e amigos, envolvendo, também, as empresas e instituições em que trabalham. Dar suporte para as mamães amamentarem seus filhos após o final da licença maternidade é bom para todos, pois soluciona a angústia delas, que atuarão sem ausências e com tranquilidade.

Oferecer uma estrutura e um suporte adequados para estas mulheres, tratando o tema da Amamentação com responsabilidade e sensibilidade deve fazer parte do planejamento das empresas.  Este é um compromisso não só com as funcionárias, mas com a comunidade como um todo.

Algumas empresas já saíram na frente e adotaram medidas para auxiliar as mamães como espaços destinados à amamentação, campanhas de orientação sobre o assunto, oferecimento de potes adequados para armazenamento do leite materno, entre outras.

Por falar nisso, vale detalhar um pouco mais sobre as Salas de Apoio à Amamentação, que são espaços dedicados para a mulher trabalhadora e/ou estudante que amamenta retirar e estocar seu leite, durante a jornada de trabalho, para dar ao seu filho em casa ou doar a um Banco de Leite Humano. Também pode ter por objetivo atender a mulher trabalhadora em dificuldade na amamentação e esvaziamento das mamas.

post_14a

Foto: G1

post14b

Foto: FioCruz

Estas Salas de Apoio à Amamentação geram benefícios para as mamães e para as empresas, como:

  • Diminui o absenteísmo (faltas);
  • Diminui o custo da empresa com serviço de saúde;
  • Aumenta a permanência da trabalhadora na empresa;
  • Aumenta a produtividade;
  • Torna a trabalhadora mais fiel ao trabalho;
  • Valoriza a mulher ao levar em conta as necessidades dela como mãe;
  • Empresa terá a certeza de que está dando uma parcela de contribuição à formação de uma sociedade mais avançada.

Onde procurar orientação sobre Amamentação e Volta ao Trabalho?

Em Peruíbe, as mamães contam com o Banco de Leite Humano do município, que fica na Casa da Mulher e da Criança. No Centro Clínico, há uma equipe especializada para tirar dúvidas sobre o tema. Entre em contato e saiba mais detalhes sobre a Clínica da Amamentação. Além disso, conte sempre com o apoio do pediatra da família!

Um beijo, uma ótima leitura e até o próximo post!

“Post Legenda”: quem mama não tem crise!

21 de junho de 2016

No post de hoje, preferimos falar através das imagens.

Selecionamos duas fotos que têm tudo a ver com amamentação: felicidade do bebê e distância da crise econômica, política (e etc.) que atinge o nosso Brasil.

Separamos, também, uma imagem para fortalecer a sua confiança em meio aos milhões de palpites que as mamães ouvem, principalmente nos primeiros meses de vida do bebê. Encare numa boa, pois todos querem ajudar, mas lembre-se todos os dias da fotinha que separamos com muito carinho para você.

#BebêqueMamaNãotemCrise

#LeiteMaternoéForçaeAmor

post13c

Um beijo e até o próximo post!

A arte de acalmar o choro do bebê

6 de junho de 2016

choro bebe
Imagem: Pixabay

É possível acolher o choro do nosso bebê positivamente? A resposta é sim, pois o choro do neném é a sua forma de se comunicar e nem sempre significa sofrimento. Principalmente nos três primeiros meses, seu bebezinho não conhece outra maneira de dizer que está com fome, que deseja colo, por exemplo.

Chorar é a única maneira que o bebê conhece de manifestar vontades que ele ainda nem sabe que tem. Ele precisa estar pertinho de você, pois está construindo sua segurança em relação ao mundo que o cerca e, do primeiro ao terceiro mês, é uma fase essencial para estabelecer esta confiança.

Escrever uma receita padrão de como lidar com o choro do seu filho foge do objetivo deste Blog, que procura acolher as mamães e seus bebês, respeitando o jeitinho de cada um. Dentro deste tema, selecionamos algumas dicas para você adaptar à sua maneira com um pequeno passo a passo:

Bebê chorou. Mamãe responde ou canta uma música suave.

O choro continua. Mamãe segura a mãozinha do bebê.

O choro ainda não passou. É hora de pegar no colo.

Se identificar, que é chorinho de fome, pode dar de mamar, sem esquecer que a livre demanda é recomendada nos seis primeiros meses de vida do bebê, porém sem esquecer que nem todo choro precisa ser acalmado amamentando.

Tente seguir os passos acima com a certeza de que o choro nem sempre é algo ruim e que a sua calma e serenidade são os melhores ingredientes nessa hora.

Não se cobre demais e busque manter a mente e o coração tranquilos. Aos pouquinhos você vai aprender a identificar os motivos do choro do seu bebê. Lembre-se: é no dia a dia que vamos construindo nossa calma, nossa confiança e estreitando cada vez mais os laços com o nosso bebê. O choro faz parte desta fase única, linda e repleta de aprendizados.

Boa leitura e até o próximo post!

Mamar, fortalecer músculos da face e falar: o que uma coisa tem a ver com a outra?

27 de maio de 2016

Escolhemos a imagem a seguir que é autoexplicativa e nos conta sobre alguns benefícios da amamentação que, muitas vezes, nem imaginamos. Por exemplo:  fortalecimento da musculatura da face, aprender a respirar, mastigar e deglutir de forma correta, além do desenvolvimento da fala, tudo isso começa no ato de amamentar.  Confira as explicações nesta foto que “capturamos” no site da AMS Brasil (Aleitamento Materno Solidário).

Para mais detalhes, consulte o pediatra ou fonoaudiólogo.

post 11
I
magem: AMS Brasil

Boa leitura e até o próximo post!

O frio chegou: vamos preparar o ambiente para o bebê curtir a estação com muita saúde?

16 de maio de 2016

Mudanças bruscas de temperatura. Surto da Gripe H1N1. Aumento das doenças respiratórias. Estas são as notícias que mais temos visto e lido nos meios de comunicação e, com elas, tememos pela saúde dos nossos bebês. O primeiro passo: manter a serenidade e tomar medidas bem simples para preservá-los.

post  10 imagem
Foto: Pixabay

Preparamos algumas dicas que podem ajudar e muito a enfrentar o frio com saúde:

Preparando o ambiente

  • A limpeza do quarto e móveis do bebê deve ser feita apenas com pano úmido e álcool. Evite desinfetantes, limpadores multiuso, cândida e outros produtos com cheiros fortes.
  • Sempre que possível, deixe as janelas e portas dos armários abertas para arejar em dias de sol.
  • Tire tapetes, cortinas, bichos de pelúcia, cobertores de pelo. Mesmo aqueles com etiqueta de antialérgicos não são recomendados. Os pelos irritam o nariz e dificultam a respiração.
  • Prefira edredons de algodão ou malha, assim como bichinhos feitos também de algodão e fáceis de lavar.

O que a pele do bebê realmente precisa?

  • Temos uma variada incrível de “cosméticos” para bebês, mas, na verdade, eles não precisam de nada disso. Perfumes, sabonetes com fragrâncias variadas, talcos em pó ou líquido não são amigos da pele nem da parte respiratória do seu filho.
  • Escolha sabonetes puros de glicerina e espere um pouco mais, pois terá o tempo certo para usar aquele perfuminho, colônia ou hidratante (neste último, há casos muito específicos e só devem ser usados mediante recomendação do pediatra).

Escolha e lavagem das roupinhas

  • Os dias frios são tentadores para vestirmos os bebês com lãs, plush, linhas variadas, coletinhos de pele, porém existem diversas opções em algodão, malha e moletom que são tão lindos quanto e muito mais saudáveis. Nesta hora, o que deve pesar na escolha dos “modelitos” são a saúde e o conforto do seu filho.
  • Na hora de lavar as roupinhas, as prateleiras dos mercados estão repletas de opções com fragrâncias de todos os tipos. Drible os apelos das marcas e vá no mais simples: sabão de côco em barra ou líquido. Eles são mais suaves para a pele e não atrapalham a parte respiratória do bebê.

Narizinho merece atenção especial

  • As estações mais frias combinam com cuidados especiais para o bebê respirar bem. Para isso, pingue, duas vezes por dia, Rinosoro, Sorine, Maresis, entre outros, ou soro fisiológico no narizinho como prevenção.
  • Quando o nariz estiver congestionado, o uso pode ser até de uma em uma hora. Inalações com soro fisiológico também ajudam muito nesta hora e, se possível, um inalador é um ótimo investimento. Vale a pena pedir orientação do pediatra.
  • Xaropes e outros tipos de medicação só devem ser dados para o bebê com indicação médica. Por mais informações que você leia na internet ou receba de familiares e amigos, use sempre o bom senso para remédios e procure o médico de confiança.

Todas estas dicas e medidas vêm acompanhada de praticidade, economia e o que há de melhor para a saúde do seu bebê. Não caia nas armadilhas do marketing,  aqui vale o conceito do “menos é mais”. Bom inverno, com muita saúde para você e seu bebê!

19 de maio – Dia Nacional de Doação de Leite Humano: cada ml representa muito na vida de mães e bebês #DoaçãodeLeiteMaterno #DataparaLembrar #MlsqueSalvam

3 de maio de 2016

Nosso Calendário anda bem cheio no que se refere às datas comemorativas. Costuma-se dizer que há dia para tudo atualmente. No meio de tantas datas, uma merece atenção mais que especial: 19 de maio, Dia Nacional de Doação de Leite Humano.

post 9 imagem arquivo pessoal

Esta data nem sempre é divulgada como deveria e muito menos relacionada a presentes ou comércio, no entanto, as mulheres que doam seu leite merecem todas as homenagens.

 

Uma forma de contribuir para que este gesto de pura doação de amor seja valorizado, apoiado e incentivado é compartilhar informações sobre o 19 de maio nas redes sociais, em casa, no trabalho, na escola e na comunidade. Por isso, resolvemos fazer a nossa parte aqui no Blog e falar sobre a importância da doação do leite humano tanto para os bancos de leite quanto para o futuro aproveitamento desse leite estocado em casa para que as mães possam oferecer a seus filhos, promovendo o “padrão-ouro” da nutrição infantil.

 

Neste cenário, vale lembrar que nós brasileiros (em meio a tantas notícias negativas) temos motivos para nos orgulhar, pois o nosso país, reconhecidamente, tem a maior Rede de Banco de Leite Humano (BLH) do mundo, tendo sido citado como exemplo por várias vezes, uma delas pelo The Guardian, um dos jornais de maior circulação mundial.

 

Em Peruíbe, contamos com o Banco de Leite Humano que funciona à Casa da Mulher e da Criança, onde você pode obter mais informações sobre doação de leite materno.

 

Importante! O leite humano doado para os bancos de leite representa uma melhor chance de sobrevida para os prematuros. Cada 1 ml é importante. Representa, por exemplo, muitas vezes, o volume de leite de uma mamada de um prematuro. Imaginem 100 mls!

 

Estudos comprovam que o leite materno pode ser armazenado por 12 horas na geladeira, 15 dias no congelador (freezer) e até 6 meses se for pasteurizado pelo banco de leite para utilização.

 

A data – A Lei Nº 13.227, de 28 de dezembro de 2015, instituiu o Dia Nacional de Doação de Leite Humano a ser comemorado, anualmente, no dia 19 de maio, e a Semana Nacional de Doação de Leite Humano, a ser comemorada, anualmente, na semana que incluir o dia 19 de maio.

Frasco de vidro com tampa de plástico: aceitam-se doações

25 de abril de 2016

pote com rostinho

Você, mamãe, pode estar se perguntando qual a razão deste assunto no Blog e vamos explicar.  Aquele vidro de maionese, café solúvel, cappuccino, geleia, entre outros, que vai para o lixo comum ou é separado para reciclagem tem uma utilidade imensa nos Bancos de Leite, pois são os únicos recipientes realmente adequados para armazenar o leite materno, pela facilidade em limpar e esterilizar.

Estes potes de vidro armazenam vida em forma de leite materno, essencial para atender bebês internados em UTIs, prematuros de baixo peso, mães que não podem amamentar por diferentes razões, entre outros.

Vale lembrar que os Bancos de Leite Humano são uma das principais iniciativas para redução da mortalidade infantil e dentro de todo este cenário, a doação de frascos de vidro pode ajudar e muito.

Em Peruíbe contamos com o Banco de Leite Humano que tem mais de 20 anos de atuação e está localizado na Casa da Mulher, à Rua Profª Rosa Gatti Fortuna, 88 – Centro. O telefone: 3451-3044 – ramal 207.